Manchetes do dia

Exposição da LC no painel os marxistas falam sobre o conflito entre a Rússia e o Imperialismo




1. Texto em Português.
2. Text in English.

1. Texto em Português.

Saudações revolucionarias da Liga Comunista do Brasil

É com grande satisfação que organizamos e participamos desse fórum.

Há 8 anos denunciamos a revolução nazista do Euromaidan, e defendemos as repúblicas populares do Donbass. Putin as reconheceu e começou a defende-los muito tarde, depois de quase 15 mil mortos.

Estamos muito felizes em poder compartilhar uma transmissão e vídeo com camaradas como Greg do jornal La Lucha, nós acompanhamos o bom trabalho que fazem em defesa do povo do Donbass e de lutadores como os do Borotba. Concordo contigo que a guerra está separando o joio do trigo, como a primeira e a segunda guerra também fizeram. Nós nos juntaremos a campanha: "parem as mentiras da guerra" do SUP.

Ficamos felizes em reencontrar o camarada Gerry Downin, apesar de estarmos em organizações distintas hoje.

É mais uma vez uma satisfação estar com meus camaradas GM da Argentina e Ian do Reino Unido.

Ficamos felizes em reencontrar os camaradas do KED grego, e achei brilhante a crítica que o camarada do grego acabou de fazer ao mecanicismo do esquerdismo liberal de transpor, com preguiça de pensar, a situação da primeira guerra para o tempo presente.

Sejam bem-vindos os camaradas do grupo bolchevique da coreia do sul, e temos prazer em conhecer os camradas do DIP Turco.

Lamentavelmente eu não falo inglês e o camarada Vinícius do Brasil está aqui para me ajudar, assim como o meu novo amigo Davey. Antes que eu me esqueça, nós apoiaremos a posição de Robert Montgomery por um novo Zimerwald, acho que meus camaradas da LCFI tem pleno acordo com isso.

E é um imenso prazer conhecer o camarada Alan, da BT.

Nós consideramos que a caracterização de que a Rússia realiza uma guerra justa e defensiva (como o camarada do DIP da Turquia acaba de afirmar) contra o imperialismo só pode nascer de organizações que melhor aprenderam com o método do trotskismo, que nasceram no defensismo revolucionário de Trotsky em suas batalhas políticas contra a pequena burguesia dentro do movimento trotskista, no início da 2ª guerra mundial.

Agora estamos às vésperas da 3ª guerra mundial e achamos necessário resgatar fortemente ao legado defensista revolucionário, agora que precisamos desmascarar a propaganda de guerra imperialista, propaganda propagada também pela fração pequeno burguesa e pró-imperialista, pró-OTAN e pró-AUKUS do trotskismo.

Há 30 anos nós nos inspiramos da posição defensista e audaciosa da IBT em agosto de 1991. A partir de 2008, a IBT capitulou a pressão do imperialismo anglo-saxão e passou a caracterizar a Rússia como nação imperialista. Mas a Rússia é um país atrasado e dependente. O Produto Interno Bruto da Rússia (GDP) é do tamanho do GDP do Brasil, depois que o Brasil sofreu um golpe de estado, uma pandemia e um governo Bolsonaro que afundaram a economia brasileira. A Rússia não exerce dominação imperialista sobre nenhum povo. Para nós, a Rússia nem é uma potência capitalista, porque afinal, não exerce poder sobre os outros povos pelo seu capital, mas pela dependência que o mundo tem da matriz energética de petróleo e gás. Mas a Rússia não é igual ao Brasil ou a Índia porque ao voltar para o capitalismo, havia resolvido tarefas que países semicoloniais como o Brasil e Índia não resolveram, e isso a torna um país capitalista diferente, embora capitalista e onde é necessário uma nova revolução social.

A IBT provavelmente é uma das correntes percussoras da caracterização de que a Rússia é imperialista no trotskismo, um truque baixo para não se opor ao imperialismo,  põe um sinal de igual entre o oprimido e o opressor, um truque tão baixo como o de renunciar a defesa do Iraque, da Líbia ou da Síria contra o imperialismo sob a justificativa devido ao suposto caráter não democrático desses governos. Isso não tem nada a ver com o marxismo, Trotsky disse que ficaria até com o semi-fascista Getúlio Vargas contra a democrática Inglaterra. Então, o que nos interessa aqui não é o regime de Putin, contra o qual os trabalhadores precisarão se levantar um dia para retomar o curso da revoluçao de 1917, mas não podem se deixar manipular pela CIA, que pode recorrer até ao tradeunismo, a fim de criar mais uma revolução colorida.

Desde a LCFI reconhecemos o papel importante da BT como herdeira progressiva do IBT, quando da sua posição acerca do golpe de agosto de 1991. Também reconhecemos a posição avançada dos camaradas de BT na oposição ao imperialismo hoje. Posições duplamente avançada vindo de dentro dos próprios países imperialistas e suportando a pressão. Mas precisamos regristrar que a TBI se desfaz após 25 anos sem ter avançado organicamente durante esse período e penso que o fato de que não ter criado seções além dos centros imperialistas se deve a herança perniciosa da política pró-imperialista do espartaquismo que não conseguiu ganhar aos comunistas das semicolônias e por isso ficou preso organizativamente em uma espécie de sectarismo conservador.

Então, como entendemos no LCFI, nós precisamos compreender a questão da guerra atual a partir do defensismo revolucionário anti-imperialista e das concepções do permantismo revolucionário no século XXI, como vai explicar melhor meu camarada GM da Argentina.

Pelo fim da OTAN, morte ao imperialismo e vida longa ao marxismo revolucionário!


2. Text in English.

Revolutionary greetings from the Communist League of Brazil

It is with great pleasure that we organize and participate in this forum.

8 years ago we denounced the Nazi Euromaidan revolution, and defended the people's republics of Donbass. Putin recognized them and started defending them very late, after nearly 15,000 dead.

We are very happy to be able to share a broadcast and video with comrades like Greg from La Lucha newspaper, we follow the good work they do in defense of the people of Donbass and fighters like those of Borotba. I agree with you that the war is separating the wheat from the chaff, as the first and second wars also did. We will join the SUP's "stop the lies of war" campaign.

We were happy to see comrade Gerry Downin again, even though we are in different organizations today.

It is once again a pleasure to be with my comrades GM from Argentina and Ian from the UK.

We were happy to see the comrades of the Greek KED again, and I thought the criticism that the comrade from the Greek has just made of the liberal leftist mechanism of transposing, too lazy to think, the situation of the first war to the present time, was brilliant.

Welcome to the comrades of the South Korean Bolshevik group, and we are pleased to meet the comrades of the Turkish DIP.

Unfortunately I don't speak English and comrade Vinícius from Brazil is here to help me, as is my new friend Davey. Before I forget, we will support Robert Montgomery's position for a new Zimerwald, I think my LCFI comrades are in full agreement with that.

And it's a great pleasure to meet comrade Alan from BT.

We consider that the characterization that Russia is waging a just and defensive war (as the Turkish DIP comrade has just stated) against imperialism can only be born of organizations that learned best from the method of Trotskyism, that were born in the revolutionary defensism of Trotsky in his political battles against the petty bourgeoisie within the Trotskyist movement at the beginning of the 2nd world war.

Now we are on the eve of the 3rd world war and we find it necessary to strongly rescue the revolutionary defense legacy, now that we need to unmask the imperialist war propaganda, propaganda also propagated by the petty bourgeois and pro-imperialist, pro-NATO and pro-AUKUS fraction of Trotskyism.

30 years ago we were inspired by the IBT's audacious and defensive stance in August 1991. From 2008 onwards, the IBT capitulated to the pressure of Anglo-Saxon imperialism and began to characterize Russia as an imperialist nation. But Russia is a backward and dependent country. Russia's Gross Domestic Product (GDP) is the size of Brazil's GDP, after Brazil suffered a coup d'état, a pandemic and a Bolsonaro government that sank the Brazilian economy. Russia does not exercise imperialist domination over any people. For us, Russia is not even a capitalist power, because after all, it does not exercise power over other peoples for its capital, but for the dependence that the world has on the energy matrix of oil and gas. But Russia is not the same as Brazil or India because when it returned to capitalism, it had solved tasks that semi-colonial countries like Brazil and India did not solve, and this makes it a different capitalist country, albeit a capitalist one where a new revolution is needed. Social.

The IBT is probably one of the forerunners of the characterization that Russia is imperialist in Trotskyism, a low trick not to oppose imperialism, it puts an equal sign between the oppressed and the oppressor, a trick as low as that of renouncing defense of Iraq, Libya or Syria against imperialism on the grounds of the supposed undemocratic character of these governments. This has nothing to do with Marxism, Trotsky said he would even stand with the semi-fascist Getúlio Vargas against democratic England. So, what interests us here is not the Putin regime, against which the workers will have to rise up one day to resume the course of the 1917 revolution, but cannot be manipulated by the CIA, which can even resort to tradeunism, in order to create yet another color revolution.

From the LCFI we recognize the important role of BT as the progressive heir of the IBT, in its stance on the August 1991 coup. We also recognize the advanced position of BT comrades in opposing imperialism today. Doubly advanced positions coming from within the imperialist countries themselves and bearing the pressure. But we need to record that the TBI disbands after 25 years without having progressed organically during this period and I think that the fact that it did not create sections beyond the imperialist centers is due to the pernicious legacy of the pro-imperialist policy of Spartacism that failed to win over the communists in the semi-colonies and for that reason he was organizationally trapped in a kind of conservative sectarianism.

So, as we understand in the LCFI, we need to understand the issue of the current war from the point of view of revolutionary anti-imperialist defensism and the conceptions of revolutionary permantism in the 21st century, as my comrade GM from Argentina will better explain.

For the end of NATO, death to imperialism and long life to revolutionary Marxism!

Nenhum comentário