Manchetes do dia

Renato Freitas é camarada nosso! Mexeu com ele, mexeu conosco! Mexeu com um, mexeu com todos!

Incondicional solidariedade a Renato Freitas do PT, contra as hordas racistas e bolsonaristas!


Um dos atos mais importantes no Brasil, pedindo por justiça contra o brutal assassinato do jovem congôles Moïse Kabagambe e também do trabalhador Durval Teófilo, por um vizinho bolsonarista, foi realizado em Curitba / PR, no Largo da Ordem, em frente a Igreja Nossa Senhora do Rosario dos Pretos de São Benedito. Após o ato, em frente a igreja, depois da missa terminada, parte dos manifestantes adentraram a igreja para clamar por justiça e lutar pela vida.

Depois do ato, imediatamente, a direita Nazista e Racista, parte da mídia e da opinião pública liberal, colocou em prática o método de seu grande mestre Joseph Goebbes (Ministro da propaganda da Alemanha nazista) se encarregaram de espalhar mentiras e falsificar os fatos. O objetivo é demonizar a luta contra o racismo. Não é por acaso que Curitiba é a capital dos grupos neonazistas do brasil e abriga a maior quantidade desses grupos Neonazista do país. Cometem todo tipo de prática criminosa contra negros, gays e pobres em situação de rua e pobres da periferia através da violência policial.

Como acontece sempre, estão falsificando os acontecimentos para caluniar o camarada Renato Freitas, advogado, mestre em direito e vereador pelo Partido dos Trabalhadores como responsável pelas mentiras criadas pela Mídia e políticos Bolsonaristas e Evangélicos que à muito tentam cassar o Vereador, que tem combatido o desvios de verbas à pseudo clinicas de tratamento de dependência química, fonte de negócios de muitas igrejas evangélicas. Renato que é um parlamentar de novo tipo e da banda combativa do PT, está sendo ameaçado de processo, de perda do mandato e de prisão pelos bolsonaristas.

clique aqui para assistir ao vídeo

O próprio nazi-racista mor, Bolsonaro, resolveu tirar uma casquinha do caso, ameaçando aos camaradas de processo e prisão:



Esse ataque ao vereador Renato de Freitas é um ataque reacionário a todos os que defendem intransigentemente a luta contra o racismo e por justiça e democracia.

Vídeo fascista contra Renato, dos que o acusam de "bandido"
 e defendem que "bandido bom é bandido morto"

Nessas horas, muitos liberais que condenaram o assassinato a pauladas de Moise, como o golpista e novo queridinho da esquerda, Reinaldo Azevedo, também condenam o ato antiracista de Curitiba (um dos mais importantes do país, nas palavras de Frei David). Nesse caso, foi reeditada a frente política entre a direita liberal e a extrema direita bolsonarista que derrubou Dilma em 2016. Também muitos identitaristas de esquerda, que se autoproclamam anti-racistas, silenciam diante da perseguição contra o ato anti-racista.

É obrigação da verdadeira esquerda antiracista, das organizações de luta da classe trabalhadora e de qualquer um defensor do verdadeiro direito de manifestação da população pobre e oprimida, fazer uma ampla campanha para blindar de solidariedade ao camarada Renato e ao ato antiracista contra as covardes execuções de Moise e Durval!

Nós da Liga Comunista somos solidários ao companheiro Renato Freitas por sua luta contra o racismo e por Justiça, prestamos total e incondicional apoio ao nosso vereador contra as hordas bolsonaristas, fundamentalistas, racistas e liberais. Renato Freitas é camarada nosso! Mexeu com ele, mexeu conosco, mexeu com um, mexeu com todos!

Abaixo, reproduzimos vasta documentação explicando os acontecimentos que fazem parte da campanha por justiça contra o racismo no Brasil e contra a direita bolsonarista e fundamentalista:

"O Brasil nega constantemente o direito à vida à população negra.

 Tratados como subcidadãos, subraça, nós negros - de todas as tonalidades e feições - somos vistos como inimigos a ser vigiados, controlados, explorados e, se ousarmos lutar por nossos direitos, assassinados. 

Moise é mais uma vítima desse sistema que até pouco tempo atrás impunha aos negros uma existência sem direitos, apenas deveres. 

Foi exigir o pagamento pelos dias de trabalho e foi surpreendido pela violência brutal e covarde de seus assassinos. Aos que passavam, diziam os algozes que se tratava de mais um “negro ladrão”, e que por isso estava sendo “justamente” linchado, na terra em que – nos dizeres do presidente da república - “bandido bom, é bandido morto”.

E quem tem a cara de bandido num país de 350 anos de escravidão e apenas 133 de abolição? Durval, pai de família, trabalhador honesto, cheio de vida; baleado três vezes pelo próprio vizinho, branco, sargento da marinha e apoiador veemente do atual presidente.

A injustiça praticada em qualquer lugar é uma ameaça à justiça de todos os lugares, e por isso aqui em Curitiba nos levantamos e gritamos bem alto para que todos pudessem ouvir: basta de racismo, basta de violência policial, basta de covardia!

Ecoaram nossos clamores para dentro da Igreja em frente ao protesto, a Igreja dos Pretos, construída por pretos e para pretos em 1.737, justamente porque os brancos proibiam a entrada de negros em suas igrejas à época.

Porém, duas beatas e o padre ouviram, mas não escutaram, viram, mas não enxergaram. E disseram para que fôssemos protestar longe dali, embora a missa já tivesse acabado e a Igreja vazia.

A contradição de não poder fazer uma manifestação de negros para afirmar a vida de nós negros em frente à Igreja feita por negros para os negros que não podiam entrar em outra Igreja, foi indignante.

Por isso resolvemos entrar e lotamos a “Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos de São Benedito” de fé e de esperança.

Falamos do pecado mortal da acepção de pessoas, discriminação que levou à crença da superioridade duma raça por outra, fundamentando a escravização dos africanos pelos europeus, infelizmente com o apoio da Igreja.

Ressaltamos o valor do amor e convocamos aqueles que creem a agir, pois a fé sem obra é morta. Lembramos a todos que Deus está nos humilhados, nos pobres, nos oprimidos e nos injustiçados. 

Quem vira as costas a eles, vira as costas a Deus."

Segue abaixo o vídeo sobre o acontecido e que demonstra em imagens que não havia missa e que a Igreja estava vazia.

Assistam e tirem suas próprias conclusões.

https://www.instagram.com/p/CZrnwIeg05q/

A transmissão da missa naquele sábado mostra as inverdades que foram difundidas:

NÃO É VERDADE o que diz a manchete de que a “invasão” ocorreu “durante missa”.
 Os manifestantes entraram na Igreja exatos 6 minutos DEPOIS DO TÉRMINO DA MISSA. Isso pode ser constatado no vídeo da celebração completa no canal oficial da Igreja do Rosário no YouTube. https://youtu.be/p3PYwJXZ4Rg

NÃO É VERDADE que “o culto foi interrompido”. Tampouco que os “militantes de esquerda invadiram a igreja no momento em que fiéis católicos aguardavam o início da missa.!”
NINGUÉM ENTROU NA IGREJA DURANTE A MISSA. No vídeo do canal da Igreja, o celebrante até reclama em dois momentos da manifestação que ocorre na praça, mas deixa registrado que NEM SABE DO QUE SE TRATA. 
Em 0:31:35  https://youtu.be/p3PYwJXZ4Rg?t=1895 : “Você sabe que grupo é esse que está lá fora?”
E em 0:51:56 : https://youtu.be/p3PYwJXZ4Rg?t=3115 : “não sei que grupo é, descobriram?”  

NÃO É VERDADE que os manifestantes “forçaram a porta do templo”.
A porta PERMANECEU ABERTA DURANTE TODO O TEMPO da gravação. Uma ajudante do padre até sugeriu que a porta fosse fechada, mas o padre não concordou. 0:25:22 https://youtu.be/p3PYwJXZ4Rg?t=1522

NÃO É VERDADE que “os esquerdistas ofenderam os religiosos com palavras de baixo calão, além de gritos de “fascistas” e “racistas”. 
Quando os manifestantes entraram (6 minutos depois do fim da missa), os 17 participantes (sim, dava pra contar) que participavam da missa já tinham se retirado da Igreja.

NÃO É VERDADE que “em vão, o padre tentou conter o ocorrido”. 
Como mostrado acima, NINGUÉM ENTROU NA IGREJA DURANTE A CELEBRAÇÃO e o padre nem sequer sabia que tipo de manifestação estava ocorrendo.
Quando os manifestantes entraram depois da missa, o padre voltou da sacristia já sem os paramentos e permaneceu todo o tempo no presbitério junto com eles. 1:00:25 https://youtu.be/p3PYwJXZ4Rg?t=3625

A manifestação durou 8 minutos. Não dá pra saber o que foi falado porque o som da gravação foi cortado. Mas não se nota nenhuma movimentação atípica além das faixas, cartazes, palavras de ordem e aplausos.
Quando os manifestantes se retiraram, o último a sair ABRAÇA O PADRE e conversam durante 4 minutos. 1:10:00 https://youtu.be/p3PYwJXZ4Rg
Depois disso o padre retorna à sacristia, a porta é fechada e as luzes se apagam 1:13:46 https://youtu.be/p3PYwJXZ4Rg?t=4425

Sugiro ainda a leitura da:
• Nota Oficial da Arquidiocese de Curitiba sobre p ocorrido
http://arquidiocesedecuritiba.org.br/2022/02/07/nota-manifestacao-igreja-rosario/

• Nota Oficial do Partido acusado de organizar a manifestação
http://www.pt-pr.org.br/Noticia/65031/nota-do-pt-pr-respeito-pelas-instituicoes-religiosas-e-justica-pela-barbarie-contra-o-povo-negro

• Nota Oficial dos Bispos do Brasil (CNBB) sobre as razões que motivaram a manifestação desse sábado em Curitiba, em outras inúmeras cidades do brasil e até no exterior.
https://www.cnbb.org.br/cnbb-rede-clamor-brasil-e-a-redemir-emitem-nota-sobre-o-assassinato-do-congoles-moise-kabagambe/

Por Augusto Ferreira

Manifesto contra a cassação do vereador Renato Freitas -PT 


https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSd9NnktneUSO0ykhGtljVtSzvg6cHNRm5vzBjw6HsdRAr17gA/viewform?fbclid=IwAR2LDAhZe6eh5zSdiwYEFO1tSfYFt12kgz8Gvs7Txjx1-ABQZjTmbkXKtsg

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSd9NnktneUSO0ykhGtljVtSzvg6cHNRm5vzBjw6HsdRAr17gA/viewform?fbclid=IwAR2LDAhZe6eh5zSdiwYEFO1tSfYFt12kgz8Gvs7Txjx1-ABQZjTmbkXKtsg


Nenhum comentário