Manchetes do dia

ARGENTINA, virada pro-imperialista do governo Fernandez



Tendencia Militante Bolchevique - seção da CLQI da Argentina

Sérgio Massa foi designado como ministro da Economia da Argentina, com o apoio do Departamento de Estado dos EUA, do BID e de Cristina Kirchner.

Com Massa como “super-ministro” unificando economia, agricultura e produção, toma forma uma virada pró-americana do governo de Alberto Fernández. O próprio Massa negocia um empréstimo com os bancos americanos e britânicos .

Isso resultaria em uma maior dependência do país em relação ao imperialismo. O Departamento de Estado dos EUA apoiou a nomeação de Massa como "super ministro".

Com o anúncio da nomeação de Massa, o ataque especulativo ao mercado de câmbio foi interrompido . Este ataque especulativo pretendia alimentar o próprio avanço de uma opção pró-americana na Argentina.

Antes da inauguração de Massa, o banco multilateral controlado pelo imperialismo - como o Banco Interamericano de Desenvolvimento, BID, liberou empréstimos à Argentina como sinal de aprovação do imperialismo norte-americano com a nomeação de Massa.

José De Mendiguen, atual presidente do Banco Estadual de Comércio Exterior e Investimentos, BICE, iria ao secretário de produção do ministério da economia . De Mendigueren representa a ala da burguesia industrial que está ligada ao imperialismo dos EUA e teme a concorrência da China.

O próprio CFK recebeu Massa antes de assumir o cargo de ministro da Economia em um gesto de apoio político.

Com massas, o setor, de capital financeiro e industrial altamente concentrado, ligado ao imperialismo e que teme a concorrência da China, vê no aprofundamento da dependência dos blocos imperialistas, especialmente o bloco anglo-saxão, uma garantia para conter a expansão chinesa na Argentina.

A volatilidade do governo de Alberto Fernández entre os grandes blocos mundiais foi resolvida por meio de uma virada pró-imperialista, que trará imediatamente mais ataques às condições de vida dos trabalhadores. En contra eso, la clase trabajadora debe de organizarse en forma indpeendiente de los partidos patronales y al burocracia sindical y su vanguardia debe tomar esto como parte de la construcción de un partido revolucionario que tenga por objetivo barrer con la opresión imperialista y el domino del capital Na Argentina.

Nenhum comentário